03/08/2014

Reflexão!

      Durante as últimas semanas estive pensando sobre o ambiente esportivo que vivo, em função do meu filho mais novo Matheus, que pratica e ama o judô. Este esporte, o judô,  além do futebol que já é bem antigo em nosso convívio, pois é praticado há bastante tempo pelo João, meu filho mais velho, tem nos ensinado muitas coisas positivas, muito além do ganho esportivo nos trás uma linda filosofia de vida, que nos é transmitida tanto pelos senseis quanto pelo o que buscamos saber sobre a história do judô e seu criador, o mestre Jigoro Kano.

      Foram esses ensinamentos que nos fizeram ter certeza de que o judô é uma prática maravilhosa e por isso arrebata o coração dos que praticam e os nossos que acompanhamos.
       Com o passar dos anos e a medida que o judoca vai ficando mais graduado, as competições tornam-se parte desta caminhada, e há dois anos tenho acompanhado todas ou quase todas as competições do Matheus. Além do desenvolvimento e crescimento dele no judô, me chama a atenção as belas amizades que ele tem feito com os colegas de treino, que são aquelas do dia a dia, e também com os parceiros e adversários de competição.
        Este ano tem sido um ano positivo no judô para o Matheus, ele tem alcançado a maioria dos seus objetivos e fica muito feliz com isso e nós também, mas nem sempre é assim: há tempos bons e ruins. Mas nenhuma dessas medalhas e conquistas são mais valiosas do que ver o respeito do meu filho com o adversário em qualquer circunstância, perdendo ou ganhando, ele sabe que ali do outro lado tem uma criança cheia de sonhos e objetivos como ele e merece todo o respeito. Assim como vejo a admiração dele pelo adversário quando ele é superior e a inteligência dele em querer aprender com os que sabem mais.
         Nos últimos dias vi alguns comportamentos que nada tem a ver com a filosofia do judô, e que na maioria das vezes foram protagonizados pelos pais dos atletas trocando farpas e torcendo ofensivamente na arquibancada e por alguns poucos competidores que provavelmente foram mal instruídos por seus pais. Me entristeci, pensei " eles não devem ter tido a oportunidade de estudar um pouco da filosofia do judô, uma pena."  O que me resta é fazer meu filho manter o foco e que dentro do coraçãozinho dele não haja espaço para maus sentimentos, que ele consiga domar o ego e respeitar a todos dentro e fora do tatame, porque esta tem sido minha medalha de ouro todos os dias.

Algumas frases do Mestre Jigoro Kano:

" Somente se aproxima da perfeição quem a procura com constância, sabedoria e sobretudo muita humildade."

" A simplicidade é a chave de toda a arte superior, da vida e do judô."

" Quando se percebe a potência do judô, compreende-se que não se pode usá-lo levianamente, pois ele pode ser tão perigoso quanto uma espada desembainhada."

" A ideia  de considerar os outros como inimigos só pode ser loucura e fonte de regressão."

Um comentário:

  1. perfeito, Lisi.
    disseste tudo, nem sobrou o que comentar.

    beijo

    ResponderExcluir

Gostou do texto? Rolou uma identificação? ;)
Deixe seu recado para nós!