07/05/2014

Uma homenagem às campeãs anônimas, as mães de atleta

Muito tem se falado sobre a importância das escolas, professores de Educação Física, técnicos e todos os profissionais envolvidos nas categorias de base para o futuro do esporte brasileiro. Poucos, porém, reconhecem que a grande maioria dos campeões, de todas as modalidades,  em qualquer parte do mundo, nascem a partir de uma decisão de uma mulher anônima, dedicada, que quase sempre perde seu nome assim que a criança inicia seu treinamento: a mãe.
Nas escolinhas, academias, associações e projetos sociais, mãe de atleta é conhecida apenas como a mãe do Zezinho, do Joãozinho, do Rogério, do Aurélio, da Rafaela, da Sarah...
Foi minha mãe, dona Neusa Sampaio Cardoso, mais conhecida como a mãe do Rogério Sampaio, que, seguindo a recomendação de um pediatra, fez a minha inscrição numa escola de judô, quando eu tinha apenas quatro anos de idade. Foi ela também que me deu a liberdade de desistir do esporte pouco tempo depois; que teve sensibilidade para atender ao meu pedido para voltar a treinar e que exerceu sua autoridade para me impedir de desistir pela segunda vez. Fico imaginando que rumos minha vida teria tomado se ela tivesse cedido à minha vontade de abandonar os tatames de vez ainda nos primeiros passos.
Minha mãe nos levava aos treinos, preparava refeições balanceadas e dava todo o suporte necessário para que eu e meu irmão, Ricardo, tivéssemos tranquliidade para nos dedicar ao judô. Essa dedicação incluía nos incentivar sempre e até apertar o cinto para que o dinheiro, conquistado com trabalho duro por ela e pelo meu pai, fosse suficiente para bancar as inúmeras viagens.  Tudo isso sem falar em tarefas rotineiras como lavar e remendar os quimonos.
Como todo trabalho feito com dedicação e excelência costuma trazer bons resultados, minha mãe teve a alegria de ver seus dois filhos disputando Jogos Olímpicos. Meu irmão esteve em Seul 1988 e eu em Barcelona 1992.
Em 1991, ela sofreu a maior perda que uma mãe pode sofrer quando meu irmão faleceu. Pouco mais de um ano depois, ela viveu a emoção que todas as mães de atleta almejam: ver o outro filho no degrau mais alto do pódio olímpico, com uma medalha de ouro no peito, ao som do hino nacional brasileiro.
Mães são exemplos de abnegação e de amor. Devo muito das minhas conquistas, dentro e fora dos tatames, à minha. Hoje, convivo com centenas de mães de pequenos judocas do meu Projeto Judô - Educando Para a Vida, na Baixada Santista e com mães dos alunos da Associação de Judô Rogério Sampaio, e vejo que a história se repete em várias outras famílias. Mães que levam seus filhos para os treinos, quer chova ou faça sol; que cuidam da alimentação, que incentivam, que torcem por eles. Mães que são, ao mesmo tempo, treinadoras, psicólogas, nutricionistas, preparadoras físicas. Mulheres multitarefas.
Discretas ou torcedoras barulhentas, cheias de conhecimentos técnicos ou praticamente ignorantes quanto às regras do esporte, jovens ou maduras, todas as mães de atleta merecem destaque. Afinal, para o grande público, ela permanecerá sem nome, a mulher anônima por trás do sucesso do grande campeão, a mãe de alguém. Mas, para nós, filhos atletas, ela para sempre será reconhecida como a base sem a qual nunca viveríamos as emoções da vitória.
Parabéns, mamães!



Rogério Sampaio, campeão olímpico de judô nos Jogos de Barcelona 1992; idealizador e coordenador do Projeto Judô - Educando Para a Vida; fundador da Associação de Judô Rogério Sampaio, em Santos. 

4 comentários:

  1. Linda homenagem, parabéns ao Rogério Sampaio e sua família, tantas emoções! É uma honra a colaboração de um campeão olímpico no blog. Estamos muito gratas e felizes.

    ResponderExcluir
  2. Rogério Sampaio estou sem palavras para agradecer esse presente lindo que deu a todas nós !!! Grande atleta, grande exemplo para nossos , que seus projetos na minha amada bsixada Santista sejam sempre referencia de sucesso, transformação e amor!!! Valeuuuu querido contetranêo santista!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Depoimento muito especial, importante, de muita sensibilidade... Não é necessário que cada filho(a) de atleta também o faça, mas seria excelente se todos os atletas lembrassem de sua mãe/pai que lhes deram este fundamental e irrestrito apoio... Parabéns ao Rogério Sampaio e sua mão, aliás, a todas as mães/pais de jovens atletas...

    ResponderExcluir
  4. Rogério Sampaio08/05/2014 22:45

    Eu agradeço a vocês o carinho, por essa oportunidade de poder falar de minha mãe na semana do dia das Mães, parabéns por esse espaço aberto para as campeãs anônimas, as mães de atleta.

    ResponderExcluir

Gostou do texto? Rolou uma identificação? ;)
Deixe seu recado para nós!